quinta-feira, 28 de abril de 2011

A bela da Net


Só posso agradecer por existires em minha vida.
Tu, que me trazes clássicas brisas de amor.
Aquele amor que não se compra em feiras,
Que não se transmite em parabólicas, mas em bucólicas canções.
Tu, que és muito mais do que possa sugerir as novelas e os telejornais.
És livro lido em ribanceiras, sob a sombra de pomares, à beira de ribeirões.
És a bela que navega na Net,
Mistura de diva e felina,
Deveria, então, dizer divina,
Que assim a vislumbro mais.
Dá-me teu amor de encanto,
Que me entrego em prantos aos caprichos teus.
Eu, teu poeta-poema, que só tenho a oferecer-te os singelos escritos meus


Marcos Alderico
26/03/2010

4 comentários:

  1. "Teu-meu dizer de poetas
    Ondas finas em ventos
    profecias contadas de tempos
    antes minhas tuas falas e intentos

    E cantas versos por poros suados
    destilas sonhos - por menos - encantados
    e as mesmas finas que por ti, já se foram
    profetizaram, outras vidas - indecoros!

    Enfeitiças facil, mas não voltas
    e profetizas lindo, e não calas
    a parte incontida, de outras montas

    Quero poesias, e me faltas
    mais de minha vida, minha alma
    e novas galhardias, me amparas..."

    ResponderExcluir
  2. "Todos querem o perfume das flores, mas poucos sujam as suas mãos para cultivá-las."

    (Augusto Cury)

    http://www.lleandroaugustto.blogspot.com/

    http://www.eu-e-o-tempo.blogspot.com/

    Um grande abraço: Leandro Ruiz

    ResponderExcluir
  3. Belos escritos os seus...
    Beijo no seu coração lindamente inspirado.

    ResponderExcluir
  4. Encantou me!
    Belíssimo blog, seu trabalho é excelente.
    Parabéns!
    Estou te seguindo com carinho.

    Um abraço.

    Marion

    ResponderExcluir