domingo, 23 de fevereiro de 2014



Algo me cala,
Engasga em mim a poesia.
Tem dias que tudo parece ir mal. Normal.
Assim a vida vai se arrastando
E se afastando dos meios em direção ao final.
Inícios, tropeços, partidas, erros e acertos.
Tudo isso ainda me deixa confuso.
Contudo, uma certeza: amo você.
E essa certeza me leva a caminhos mais suaves,
Com um frescor da brisa cheirosa das manhãs claras de abril.
Esse amor é um sacerdócio
E uma fera que, diariamente, precisa ser domada.
Não é fácil, nem é dócil,
Mas dá flores e frutos doces.
Alecrins e alfazemas.
Às pencas, despencam as avencas da nossa janela
E se misturam às margaridas e amarílis
Que colorem os nossos sonhos.
Você é o pote de ouro que encontrei no final do arco-íris
E o puro sentido de todos os versos que componho.

Marcos Alderico
24/10/2013

23:15